17 de novembro de 2014

Primeira postagem de uma sequencia de 04 artigos importantíssimos!!!!


8 de novembro de 2014

Subinspetores e o ponto final das negociações entre DOP e classe.

José Luis da Silva Alves:

Subinspetor da GM Rio;
Formado em Gestão de Segurança Empresarial;
Detentor do Curso de Gestão Superior de Comando de Guarda Municipal;
Pós Graduando em Processo Decisório em Políticas Públicas; Pós Graduando e Administração Pública;
Foi Vice Presidente do Conselho Nacional das Guardas Municipais; 
Atual Subdiretor de Ensino da GM Rio;
E Presidente da ASSUGMERJ.



Aconteceu Quinta feira dia 06/11/2014, mais uma reunião da classe de Subinspetores, 
que desta vez foi com o Subdiretor de Operações Inspetor Carlos Dias Cristo que também teve a participação do atual Gerente de Operações o Inspetor Figueiredo.

Durante 04 horas foram debatidos alguns assuntos que já estavam sendo tratados em reuniões de gabinete, por uma comissão de Subinspetores desde o dia 28/10/2014.
Mas o momento foi oportuno para também firmar alguns posicionamentos contrários a edição do decreto que trata das regras do processo de promoção na GM Rio, sobre a importância de se criar o Estatuto GM, sobre a falta do planejamento estratégico na GM Rio, sobre um replanejamento operacional nas missões do maracanã e o desgaste do material humano que vem aumentando a cada dia na instituição.

Sobre a pauta do dia com algumas propostas emergenciais, podemos dizer que avançamos o esperado. O atendimento de 95% da pauta traz neste momento uma oxigenação na classe,
traz uma melhoria para a tropa em termo de condições de trabalho nas missões
maracanã e também traz melhores alternativas para que a DOP desenvolva melhor suas estratégias operacionais.


Agora a Diretoria da Associação de Subinspetores, tem no mínimo mais três desafios pela frente, onde vai articular com entidades sindicais, com um corpo jurídico e vai viabilizar articulações políticas para vencer estes novos desafios.





30 de outubro de 2014

CONVOCAÇÃO IMPORTANTE!!!!!!!

CONVOCAÇÃO  IMPORTANTE!!!!!!!



Srs. Subinspetores, estamos hoje expostos a todo tipo de situações em nossas atividades laborais. Hora podemos ser responsabilizados pelas ações operacionais de missões que estão sob nosso comando, hora podemos ser acionados judicialmente pelo nossos próprios subordinados, caso eles entendam que algo por nós não foi bem posicionado, OU HORA PODEREMOS TER QUE RESPONDER POR DEFENDER NOSSAS PRÓPRIAS VIDAS. Partindo dos fatos expostos acima e do clamor da classe de Subinspetores pela necessidade de uma Assessoria Jurídica focada na parte criminal e Administrativa, é que estamos com uma reunião marcada para o dia 30/10/2014 as 20:00 horas no salão anexo do restaurante da Quinta da Boa Vista, entre Diretores do Sindlojas e todos os Subinspetores, para que possa ser apresentado uma parceria para que tenhamos um pacote de benefícios e um plano jurídico forte, para nossa defesa.

Avise ao seu colega Subinspetor de unidade e não deixe de comparecer, amanhã vc com certeza vai precisar desta assessoria, e o seu posicionamento é fundamental para a aquisição desta segurança para todos nós.

Atenciosamente

José Luis da Silva Alves
Presidente da (ASSUGMERJ)

Associação dos Subinspetores das Guardas Municipais do RJ

28 de outubro de 2014

Subinspetores apresentam propostas para oxigenar o ambiente operacional e satisfação do Servidor.

Na tarde deste dia 28/10/2014, o Presidente da Assugmerj juntamente com uma comissão de Subinspetores constituída pela Associação de Subinspetores, se reuniu com o Diretor de Operações da GM Rio, o Inspetor Regional Marcelo Esteves. 



Através do Ofício nº 050/14, a ASSUGMERJ, se posicionou sobre a demora do atendimento de pleitos apresentados antes da Copa do Mundo, e solicitou uma reunião com o DOP Inspetor Esteves, para buscar respostas sobre os pleitos antigos e para também apresentar novos pleitos e propostas.

A reunião aconteceu em um elevado nível, onde para cada proposta apresentada foram também apresentadas justificativas, onde o Diretor de Operações reservou total atenção para cada fala dos integrantes da comissão.

Temos a certeza que o atendimento dos pleitos apresentados, oxigenarão simultaneamente, servidores e ambiente operacional.

A classe continuara se reunindo durante esta semana para tratar sobre assuntos administrativos e busca para a próxima semana uma grande reunião com o maior numero de integrantes da classe no Auditório do BG para uma resposta de atendimento aos pleitos e propostas apresentadas.


propostas estarão no Watzap "subsposgraduação". 

26 de outubro de 2014

Não vamos mais deixar ninguém falar por nós neste País.


Todos nós Guardas Municipais do Brasil, nascemos dentro de um sistema de dominação. Lutamos muito para mudar este cenário e ainda continuamos lutando para sermos capitães de nossas almas e Senhores de nossos destinos. 

Por sermos municipalizados e por existirem milhares de Municípios  em nosso Brasil, temos uma grande dificuldade de romper as barreiras impostas por esta pluralidade  e pela autonomia que cada Chefe do Executivo Municipal tem em suas mãos para Governar. 

Os politiqueiros que são usados e manobrados por grupos que de forma inescrupulosa vem se apoderando da Segurança Pública visando transforma-la em um império, um negócio Privado, passando seu controle entre seus feudos, interferem diretamente em nosso processo de avanço institucional.

Nos da Guarda do Rio de Janeiro, não somos melhores e nem piores que nenhuma Guarda deste País, não somos santos e nem  somos demônios, erramos sim, mas também temos acertos. Sabemos de nossas dificuldades, e conhecemos a força de nossos algozes que como nós, povoam uma megalópole totalmente atípica, por sua geografia, sua política, sua sociedade, e sua insegurança. 

Em meio a isso tudo,  Lutamos contra o domínio das Polícias, lutamos contra os interesses políticos, lutamos contra os arranjos e comprometimentos feitos por traz dos bastidores, lutamos contra o desconhecimento e a falta de apoio da população, lutamos contra nossas vaidades, contra nossa falta de união e lutamos contra a nossa falta de representatividade.

Durante muito tempo nos especializamos em executar e nunca negamos dividir o que produzimos com nossa execução, nossas portas sempre estiveram abertas para todos os irmãos da Legião azul Marinho, e agora nós precisamos da força de união de todos os irmãos, pois  chegou a hora de sermos, mais gestores e menos executores.

Muita coisa nos falta, não só a nós, mas a muitas Guardas de todo este Brasil, mas; o que com certeza não falta a nenhum Guarda Municipal é a vontade de mudar,  e a coragem para juntos buscarmos  a mudança.  

As calças de meninos e meninas não dão mais em nós, pois somos Homens e Mulheres, somos pais e mães de família, cobertos de muita vergonha , pudor,personalidade e caráter.

Os discursos tiranos e impiedosos, carregados de técnicas persuasivas e oratórias descomprometidas com seus resultados, que  dizem que nos falta vergonha na cara, na verdade nos envergonham ao ver e não entender qual o verdadeiro interesse em tripudiar sobre nossas deficiências, na nossa sofrida caminhada. Pessoas que proferem estes discursos,  sem vestir nossos uniformes,  e que se aproveitam do conforto de não estarem sobre a pata esmagadora de um sistema inescrupuloso que usa de diversas formas, para amordaçar o nosso grito de LIBERDADE! podem ser comparados a cometas que sempre passam causando espanto e depois somem. 

Nós Guardas Municipais, não queremos a tribuna, não queremos ser exaltados, não queremos projetar nossos projetos pessoais. Nós queremos simplesmente ser tratados com respeito, dignidade , como Homens e Mulheres, como País e Mães de família e como PROFISSIONAIS, pois nada e em tempo algum ira justificar que um suposto aliado ou que um ferrenho adversário venha nós depreciar. Aceitamos Criticas sim, mas depreciar e nós humilhar jamais!!!!

Que possamos  refletir com muita sabedoria e que o resultado desta reflexão seja um avançado processo de unificação para a maior luta de nossa vidas pela conquista de nossa LIBERDADE!!!!

Meu nome é S.Alves, sou  da Guarda Municipal do Rio de Janeiro e tenho orgulho de cada passo que conquistamos ao lado dos GMs mais novos dos mais antigos, e dos que estão na cadeia de comando, durante os nossos mais de 20 anos de existência.

Um grande abraço a todos, que Deus nos ilumine e estejamos juntos no dia da nossa vitória.




25 de setembro de 2014

Ausência no Congresso Nacional de Guardas Municipais.


Devido ao momento que estamos passando na GM Rio, por estarmos em busca de uma aprovação da lei de utilização das armas menos letais e por estarmos em estado de greve, foi impossível comparecer ao Congresso de Guardas em Espirito Santo.

Desejo a todos um excelente congresso de Guardas Municipais.  

24 de setembro de 2014

Assembleia da Categoria da Guarda Municipal. Nós estivemos lá!!!!

Aconteceu ontem dia 23/09/2014 a assembleia da categoria Guarda Municipal do Rio de Janeiro, em um dos pontos mais populares do Rio de Janeiro que é a Central do Brasil, com a presença variando entre 500 e 600 Servidores.

Em um processo totalmente democrático e sem nenhum tipo de indução, a categoria optou pela greve
e não por três manifestações com intervalos de 15 dias.

Ao término todos os servidores foram para as suas casas sabendo que foi decretado o estado de greve
e sabendo que a próxima assembleia
que poderá deflagar a greve de fato, acontecerá dia 02/10/2014.


Parabenizamos a presença de todos e a presença também de um numero de Subinspetores que atenderam ao chamado e lá estiveram. Com certeza teremos um numero maior de Subinspetores na seção que acontecerá na câmara de vereadores visando a aprovação da Lei dos não letais
e na Assembleia do dia 02/10/2014.




21 de setembro de 2014

As forças de Segurança pública do Estado estão ausentes e as Guardas estão pagando o pato!!!!

José Luis da Silva Alves
Subinspetor da GM Rio
Gestor de Segurança Pública e Empresarial
Pós Graduado em Processo Decisório em Políticas Públicas e Pós Graduando em Administração Pública.



Não é de hoje que vemos de vez em quando a Guarda Municipal do Rio de Janeiro figurando as paginas do noticiário policial dos jornais por causa de ações no centro da Cidade do Rio de Janeiro.

Conflitos ocorrem ali por vários anos. Já tivemos Guardas Mortos em serviço no centro da cidade de forma covarde,
por conta da repressão ao comercio ambulante, que na verdade é um pano de fundo para a realização de diversos crimes de potencial muito maior tipo: 



Tráfico de drogas, contra bando, descaminho, prostituição, tráfico de pessoas, prostituição infantil  e  etc...


A grande verdade é que a Guarda Municipal desde a sua criação, começou seu trabalho no centro da Cidade do Rio de Janeiro, focado no controle urbano da cidade, visando ordenar o espaço e garantir o livre trânsito de pessoas e veículos, garantir a utilização justa do espaço e em igualdade de condições aos Ambulantes autorizados e credenciados para seus devidos locais.  Mas ao longo dos anos uma legião de marginais vem ocupando o centro da cidade e desempenhando ações criminosas de diversas espécies. 
Com o deslocamento de Policiais para mobiliar as UPPs, visando a concretização  do projeto de pacificação, esse numero de marginais e as atividades criminosas aumentaram no Centro da Cidade do Rio.

Com relação a ação do Servidor Guarda, em sacar uma arma devidamente registrada, porem sem autorização do porte e sem previsão funcional do uso, podemos encarar como um ato desesperado de defesa não só da sua própria vida como também de sua equipe,
acuada por esta orda de marginais.  Mas é inegavel que ouve um desvio de conduta que A INSTITUIÇÃO tem seus mecanismo de apuração para serem realizados, onde também devem ser levados em consideração diversos aspectos que o levaram a esse desvio.  

É impossível concordar com medidas tomadas visando atingir toda a coorporação, como por exemplo, a retirada de todos os bornais. pois passa a impressão que todo o Guarda que carregava UM BORNAL, trazia consigo uma arma durante seu serviço diário, coisa que não confere com o original.

A grande verdade, é que o Estado está ausente, deixando de cumprir o seu papel, pois onde há crime, deve estar a Polícia Militar e se o crime aconteceu, deve também estar a Polícia Civil. O que vemos a anos é uma Instituição sozinha lidando com os mais diversos crimes, sem armas de nenhuma espécie e totalmente desviada de sua principal função.  Nós Guardas Municipais temos a nossa especificidade, nosso foco é o cidadão, o patrulhamento de proximidade, a prevenção primária do delito, o patrulhamento comunitário. 

Enquanto o crime rola solto no centro da cidade e a Guarda Municipal é inserida neste contexto erradamente e a Polícia se faz presente de forma superficial, os bairros cariocas estão totalmente abandonados, sem a presença mais que correta do trabalho dos Guardas Municipais.

Chega de Hipocrisia, os jornais, a sociedade, e a justiça precisam cobrar a ações eficazes e eficientes dos orgãos responsáveis por combater diretamente o crime no estado.
A POLÍCIA MILITAR, precisa ocupar o centro da cidade, o CCU precisa ter seus quadros funcionais aumentados, para que possam cumprir seus deveres institucionais, a SEOP precisa planejar mais e executar menos e nos Guardas Municipais podemos sim fazer mais, só que não somos só nós a solução do problema e crime é função principal das Polícias resolverem.

É preciso reformular a  atuação das Guardas Municipais em todo o estado, só que na cidade do Rio de Janeiro é de extrema urgência essa reformulação.